segunda-feira, 21 de outubro de 2013

1235 - Soneto sub-real

Por que não posso sonhar em ter um mulherão?

Prender-se à realidade, ser pragmático,
O que é, é e o que não, não é e pronto!
Ou se faz assim ou logo me desaponto
Com um belo infortúnio psicossomático.

A realidade ordena que se seja prático,
Que não se faça da sua vida um conto,
Uma poesia.  A vida não dá desconto,
E desafiá-la é tomar no cu automático.

Talvez por isso, eu prefira a fantasiosa
Hora em que me vejo com uma gostosa,
Para me fazer companhia e dar prazer.

É uma realidade rasteira, circunstancial
Mas que nos minutos me afasta do mal
E a imaginação me basta para entreter.

Francisco Libânio,
21/10/13, 7:23 PM
Postar um comentário