quinta-feira, 31 de outubro de 2013

1253 - Soneto rememorado

E nunca se sabe quem é.

Para-me na rua e me cumprimenta,
É hora de fazer a cara de paisagem
Caso eu não recorde na bagagem
Quem é. Pois eu vou à fumacenta

Área de amigos de outrora. Atenta
A expressão à conversa e imagem,
Quem é? Usa-se da camaradagem
Para ver qual dica isso acrescenta.

Amigo de escola? Faculdade, não...
Começa a ficar tensa essa situação,
Folhearam-se memórias e a trava

E a curiosidade continuam. Quem
É? Até que me pergunta de alguém...
Aí! Era uma tia e eu não lembrava!

Francisco Libânio,
30/10/13, 7:20 PM
Postar um comentário