quarta-feira, 23 de outubro de 2013

1240 - Soneto do abraço diferente

Não quero outro nunca mais.

Esses que sonham abraçar uma miss,
Uma deusa nórdica, modelo de breja,
BBB, paniquete, uma dessas que seja,
Ou até uma musa que brinca de atriz,

Eu vos digo que até mesmo eu já quis
O abraço de mulher assim, benfazeja
Aos olhos, fantasiei até estar à igreja
Com a minha musa e a gente ser feliz.

Um dia, abracei a moça que não era,
Assim, uma dessas, mas uma esfera,
Redondinha e com carne a ter fartura.

Nunca mais quis outra. E se dificulta
O abraço toda a massa que ali avulta,
Compensa-se isso tudo na gostosura.

Francisco Libânio,
23/10/13, 7:12 PM
Postar um comentário