quarta-feira, 23 de outubro de 2013

1238 - Soneto anti-consumista

Nunca curti nem cerveja nem axé. Eu passo.

Eu gosto de gordas e gosto de pretas,
A gostosice da garota da propaganda
De biquíni na televisão ou na quitanda
Com corpos perfeitos quase de atletas

Sexuais, delas eu nem tiro as etiquetas,
São iguais demais, a mídia de lá manda:
Loira, esbelta e siliconada, a demanda
Pede assim, e danem-se outras facetas,

Outros gostos. Mulher gorda não vende,
Já a negra não representa nem apreende
O público alvo, o potencial consumidor.

Por isso propaganda alguma me ganha.
Este poeta de sabida e diferente sanha,
Por isso, de cerveja não sabe um sabor.

Francisco Libânio,
23/10/13, 8:28 AM
Postar um comentário