quarta-feira, 9 de março de 2011

Tua Imperfeição


Tua imperfeição em não ser a grande musa,
A que os homens desejam beijar e comer,
A deusa por quem se quer matar ou morrer
Apenas acende e torna ainda mais difusa

A chama que brilha crispando de querer.
Santa seja essa contínua e total recusa
Dos homens em te amar, despir a blusa
E se arriar às tuas pernas pelo prazer

Que o sabor de tua fonte seja estranho
Aos amigos da perfeição, do acabamento
Eles nem imaginam o quanto eu ganho

Quando estou em ti em concupiscência
A fartar meu corpo de contentamento
Enquanto eles buscam mera aparência.

Francisco Libânio,
09/03/11, 2:30 PM
Postar um comentário