terça-feira, 29 de julho de 2014

1730 - Soneto da opinião alheia ao namoro

E o namorodo novo dela? Você viu?

Entre o moço e você uma diferença
Etária, seis anos ou oito anos ou dez
E essa diferença de tamanha agudez
Causa espécie e vem um, sem licença,

Fazendo graça, ele pensa que pensa,
E você lamenta o que tem de mudez
Injusta enquanto esse, de insensatez
Cheio, fala. A desviar da desavença,

Você dá de ombros, curte o menino,
O namoro está muito além do cretino
Que julga. O namoro está muito bem,

Obrigado. Já o rapaz da outra mesa,
Ataca com toda sua vazia aspereza
E você vê ele sozinho sem ninguém.

Francisco Libânio,
05/07/14, 7:58 PM
Postar um comentário