segunda-feira, 21 de julho de 2014

1717 - Soneto da namorada curiosa

E ele saiu perdendo.

Disse ela, em segredo de alcova,
Que amaria experimentar mulher.
E o sonho que todo homem quer
Se revelou nessa ideia que, nova,

Perdurou. E ele pedindo de prova
De amor a ela, exortando o prazer
Que seria os três ali a se entreter.
A proposta virou manifesto e trova,

Virou condição e quase ameaça.
A moça cedeu. Sua face devassa
Apareceu no ménage. Que triste

Para ele! Namorada quis a moça
E o deixou. Agora curtindo a fossa.
Na curiosidade o risco vive e existe.

Francisco Libânio,

12/06/14, 12:17 PM
Postar um comentário