segunda-feira, 14 de julho de 2014

1713 - Soneto da namorada hominha

e ninguém tem nada a ver com isso!

Dizem no casal ela é ele, ele é ela.
Eles confirmam sem ter vergonha
Pondo de lado a maldita peçonha
De quem os olha ou faz sentinela

Na vida do par. Ela é que desatrela
O casal de casos em que se sonha
Ser o homem quem faz. E, risonha,
Não deixa jamais de ser a donzela.

É feminina, é delicada, mas pneu
Ela quem troca, eletricidade é seu
Lazer e o namorado só agradece.

Ele é ela e ela é ele, pois que seja
Assim e que a arraia-miúda veja
Que nem tudo é com o que parece.

Francisco Libânio,
10/06/14, 12:27 PM
Postar um comentário