sexta-feira, 30 de novembro de 2012

657 - Soneto do fim de novembro

Só venha menos quente, ok?


Vai-se novembro. Em minha cidade,
Um mês quente, loucamente quente.
Trinta dias que passam e de repente
O novo ano é nascedoura realidade,

Novembro se foi com tal velocidade
Que nem o ano andou rapidamente
Assim. Foi uma coisa surpreendente
E uma mistura de sentimentos invade

A existência. O tal do espírito natalino
Com um vazio, uma paúra do destino,
O que será que ele vai aprontar agora?

Nada do que foi intentado em janeiro
Foi cumprido. E eis outro ano inteiro
Vem esperança; Dezembro, dá o fora!

Francisco Libânio,
30/11/12, 6:53 PM
Postar um comentário