segunda-feira, 26 de novembro de 2012

644 - Soneto transigente

Se não há encaixe, não rola.


Eu posso até dizer que te amo,
Nunca me proibi quanto a isso.
A sentimentos não sou omisso
E sentindo é que me esparramo.

Nenhum problema Até reclamo
Se eu sentir que o compromisso,
Logo me retrato e fico submisso
Ao que sinto. Então eu declamo

Poesias muitíssimo apaixonadas,
Mas para essa e outras presepadas
É preciso que o mesmo venha

De lá. Se não vier, nem me peça
Nada. Não há o que me apeteça
A dedicar a quem não se empenha.

Francisco Libânio,
26/11/12, 8:08 PM
Postar um comentário