sexta-feira, 30 de novembro de 2012

656 - Soneto do xingamento estapafúrdio

Explica alguma coisa...

Li que, na Grécia, chamar de flautista
Uma mulher é como chamá-la de puta
Já que noutra época a mal vista labuta
Exigia da moça, além de estar na crista

Dos dotes da alcova, ser ótima artista,
Saber tocar, saber vencer uma disputa
Intelectual e ter postura total impoluta,
Enfim uma dama boa de encher a vista,

Conquistar a mente e endurecer o pau.
Ah, os gregos! Amavam o lado carnal
Da coisa e queriam sempre uma dama.

Hoje, pobres flautistas. Na sua Grécia,
O talento fica logo abaixo da peripécia
Que uma puta ignorante faz na cama.

Francisco Libânio,
30/11/12, 6:38 PM
Postar um comentário