terça-feira, 27 de novembro de 2012

646 - Soneto discutivo-político

Mas feito de forma vazia e cheia de clichês não leva a nada


Quando eu falo sobre política, discorro
Sobre o que não acho certo. Eu critico,
Discuto, ouço, reflito, falo, exemplifico,
For o caso, me valho de algum socorro

Se for bem condradito e, então, recorro.
O bom debate acrescenta, fica mais rico,
Mas se vejo uma besta, de cara abdico.
Mais fácil ensinar miado a um cachorro.

Por isso desconfio de quem achincalha
Com termos como, um exemplo, petralha
Ou mensaleiro ou – pior – bolsa esmola!

É o cara que se acha elite, bom burguês,
Aí leio a argumentação, vejo o português
E dá vontade mandar de volta pra escola.

Francisco Libânio,
27/11/12, 1:39 PM
Postar um comentário