quinta-feira, 29 de novembro de 2012

653 - Soneto cunilínguico

Delicioso, sem dúvida delicioso.


Oferecida a entrada, pernas abertas
E uma caverna ali toda convidativa,
Sua dona, em pura vontade aflitiva,
Posição de entrega e seios alertas,

Ela convidava a novas descobertas
E numa atitude sensual como letiva,
Trazia minha cabeça pra si gradativa
Para emoções prazerosas e certas

E aproximava e tomava-me a língua
E depois se afastava para a míngua
Rápida que logo ela vinha satisfazer

Aquela delícia que se fez em jorro
Que bebi e logo depois fui o forro
Para que prolongássemos o prazer.

Francisco Libânio,
29/11/12, 7:18 PM
Postar um comentário