sexta-feira, 22 de abril de 2011

Soneto de Atitude


Eu que te amo e falo desse amor somente
Pareço cansar e, realmente... Falar de amor cansa,
Desgasta. Quem fala parece que mente,
Quem ouve se posta com tal desconfiança

Que mesmo que fosse amado plenamente
Esperaria do que ama um erro, uma lança
Fatal a ferir o coração cantado fundamente
Só para mais cantar como uma cobrança

O amor que sentia e que este amor matou.
Não! O que eu tinha a dizer de amor acabou,
Venham agora das palavras minhas ações

Um golpe na luta pelo amor que tanto digo,
Uma atitude apaixonada, um ombro amigo,
Tantas são e vão além de escrever corações.

Francisco Libânio,
22/04/11, 10:58 PM
Postar um comentário