sábado, 23 de abril de 2011

Massagem


Após eu me deitar confortavelmente
Foi quando perdi a posse de mim
E as mãos dela foram tomando
Lenta, calma... Gradativamente
Meu corpo menos meu e assim
Mais dela que me toma e é quando

Eu me esvaio de mim em jatos.
Ela tem além de mim e do corpo
Em suas mãos o meu desejo.

Francisco Libânio,
17/04/11, 10:32 AM
Postar um comentário