terça-feira, 26 de abril de 2011

Série Mente 02 - Minhas angústias


Minhas angústias são ervas maléficas e daninhas
A povoar o jardim onde eu planto minhas flores,
Meus arranjos e as outras tantas coisas minhas
Que pintam minha existência enchendo de cores,

Quando tudo está arrumado, chegam as folhinhas,
Depois as cascas grossas e aí os maus odores
Para finalmente brotarem angústias entre as vinhas
De meu recanto com gritos e gemidos ameaçadores

Ouço minha florada pedindo ajuda, ela se desespera,
E com sua força, ela luta como pode pela salvação,
Mas ainda que vença algumas angústias, a submissão

A elas parece inevitável não fosse um último alento,
Minha vontade de vê-la altiva recobra-lhe o tento
E subjuga as angústias, mas uma ainda me ulcera.

Francisco Libânio,
23/04/11, 12:25 PM
Postar um comentário