terça-feira, 5 de abril de 2011

Os Trapezistas


Para o alto sobem os trapezistas. Escadas
Que ligam nosso chão ao céu dos astros
E que, uma vez lá, descem. Só os mastros
Colocam essas extremidades separadas

O medo ou não existe ou não os alcança,
Os trapézios balançam, pendulam acima
Dos céus, a serenidade deles os sublima
Enquanto abaixo uma rede faz segurança

Vai o primeiro trapezista a voar, o segundo
A tomar firme as mãos do outro, o terceiro
Noutro trapézio jogando o companheiro

Que voa sem asas antes aqui e num segundo
Ali e vão voando os intrépidos astronautas
Como pulassem no chão em esferas altas.

Francisco Libânio,
05/04/11, 4:27 PM
Postar um comentário