quinta-feira, 5 de julho de 2012

Sob os peitos da minha namorada


Sob os peitos da minha namorada
Descanso do dia. Vem lembrança?
Nem quero saber. Não dou confiança,
Mão quero me lembrar de nada

Que minha cabeça seja esvaziada
De plano. Que me embale mansa
Meu doce sono que é o de criança
Esparramada em sua almofada

Que sob a paz desses peitos
Eu assegure meus direitos
De sempre poder me apaixonar

Pela mulher cheia de qualidade
Que me deu em nossa intimidade
Esses peitos em que faço lugar.

Francisco Libânio,
05/07/12, 1:15 AM
Postar um comentário