sábado, 7 de julho de 2012

0304 - Soneto da data coincidente


Aí o calendário me apresenta
O que não tinha notado antes:
Dia e mês iguais. São variantes
Que o tempo alinha e assenta,

E daí que vem uma agourenta
Espécie de ideias mirabolantes
Soma, loca e realoca quadrantes,
Calcula letras, números, inventa

Teses apocalípticas, uma loucura!
Veem em números assim segura,
Lógica, perigosa e fatal simbiose

Da minha realidade crua e fática,
Malgrado a ignorância matemática,
Digo: Sete e sete não são doze.

Francisco Libânio,
07/07/12, 9:41 PM
Postar um comentário