quinta-feira, 5 de julho de 2012

0294 - Soneto de uma noite damascena


Legal, o Corinthians ganhou! Maravilha!
Alvíssaras! como diriam os mais antigos,
O time alegrou vários de meus amigos,
Nunca poderei mais botá-los essa pilha,

Acontece que o que de há muito já fervilha,
Fogos, buzinaço... À noite virou tamanho castigo
Que nem em casa se achava bom abrigo
Mais parecia estarmos em meio à guerrilha,

Ligo a TV, capturo à toa o último jornal
E vejo que em lá Damasco ribomba tal
Violência, tiros, bombas e é tal parecença

Com a rua que me sinto um dissidente
Não por torcer para um time diferente,
Mas por sobreviver sob fogaria densa.

Francisco Libânio,
05/07/12, 12:14 PM
Postar um comentário