terça-feira, 10 de julho de 2012

0313 - Soneto lacônico


Aquela mulher era muito estranha
E, como estranha, igual objetiva
Trazia em si uma expressão viva
E por dentro alguma boa artimanha

E quando se via diante da sanha
Falastrona, enfrentava tal ogiva
Verborrágica com pouca saliva,
Menos palavras e a luta era ganha,

Não tinha voz alta pro enfrentamento,
Tinha consigo o sucinto argumento
Sabendo a hora, sem dar algum sinal,

Era torpedo um fazendo estrago feio
E torpedo dois acertando em cheio,
Cidade destruída só com o essencial.

Francisco Libânio,
10/07/12, 9:01 PM
Postar um comentário