terça-feira, 17 de julho de 2012

0337 - Soneto executivo


Se cabe ao presidente, ao governador
E ao prefeito esse poder que executa
O que lhes vem às mãos com a batuta
E a nós cumprir o dito seja como for,

Nós, povo, podemos bem nos impor
E dizer em bom e audível tom: Escuta
Aqui, se você está aí e daí desfruta
Desse seu poder de mandar, melhor

Que mande direito e que seja razoável
Ao mandar, você não é interminável
E se pisar na bola, a gente daí te corre!

Mas o povo fala algo? Só bate palma
É explorado e reclama com tanta calma
Que nessa calma o outro se socorre.

Francisco Libânio,
17/07/12, 6:11 PM
Postar um comentário