sábado, 14 de julho de 2012

0330 - Soneto do sábado em casa


Curtir a night? Há quem a curta,
Meu caso, prefiro a tranquilidade,
Escrever, deixar que a intimidade
Ouça a inspiração que não se furta,

Ela fala, fala tanto que até surta,
Vem um poema e em tal velocidade
Vem outro, outro e vira maldade,
A intimidade corta e logo encurta

O papo. Chega! Desligo-me, leio,
A noite esfria, meu sábado é cheio
E vazio, mas é um sábado. Valeu!

A noite podia ser outra. Putaria,
Beijar e trepar com uma vadia,
Seria melhor, mas não seria eu.

Francisco Libânio,
14/07/12, 9: 58 PM
Postar um comentário