segunda-feira, 18 de agosto de 2014

1750 - Soneto do namoro imperfeito

Não é que eles têm razão?

Ela não é deusa e ele não é muso.
Ela lá escarafuncha a vida alheia
Já ele acha isso coisa muito feia,
Mas se sabe de algo faz bom uso,

Só falta extorquir de tanto abuso.
Ela de preconceito e luxo é cheia,
Ele, seus poucos méritos alardeia
E ambos tem o jeito tanto confuso

Para levar pra frente essa relação.
Têm virtudes a garantir tal atração
E a seu modo ao namoro dão fé.

Ouvem que o namoro é atrapalhado,
Estranho, maluco. Eles dão de lado
E dizem: Qual namoro que não o é?

Francisco Libânio,
25/07/14, 3:16 PM
Postar um comentário