quinta-feira, 7 de agosto de 2014

1739 - Soneto do namoro dos opostos

Até porque peça igual não junta bem.

Como eu gosto de rock e ela de pagode?
Como eu amo ler e livro não a interessa?
Como ela odeia teatro e eu, sem a peça
Da semana, não fico? Ela já me sacode:

Diferença demais, assim será que pode?
Eu não sei. Digo: já senti a inconfessa
De jogar tudo pro alto, mas é tal avessa
Personalidade que me força a essa ode.

Não ouvimos as mesmas músicas e não
Vemos o mesmo programa na televisão,
Ela me goza e eu gozo ela e, já gozados,

Seguimos o namoro. Eu tenho saudade
E ela também, temos essa diversidade
E rimos dela ao nos vermos namorados.

Francisco Libânio,
16/07/14, 1:12 PM
Postar um comentário