sábado, 6 de outubro de 2012

494 - Soneto de macheza

Mais homem que muito macho por aí


O que é ser homem de verdade?
Beber qual gambá, coçar o saco
E trepar por um ou outro buraco
Fazendo disso a maior vaidade

Digo: Eis a mais pura animalidade!
Homem não tem esse jeito opaco,
Admito até ter por mulher o fraco,
Mas não tiver, preferir a variedade,

Curtir peito cabeludo igual ao seu...
Surpresa! Mas nesse não morreu
A hombridade. Ela segue em pé!

Ser homem e macho é diferente
Homem se preza em ser decente,
Macho é um vira-lata ou pangaré.

Francisco Libânio,
06/10/12, 7:48 PM
Postar um comentário