terça-feira, 2 de outubro de 2012

485 - Soneto de singeleza

O segredo de tudo!


Ser humilde e ser pobre é igual?
Pergunta um que, tão ignorante,
Confunde uma modéstia pujante
Com o não ter nem o essencial

Pobreza, seja humana, material
Ou característica, é degradante,
Mas como há o pobre pedante
Há o rico desprovido de ar real

Dos primeiros quero é distância
Como admiro a farta abundância
Dos segundos em sua humildade

Pois são faustos completamente
Enquanto quem muito se sente
Mata a fome comendo vaidade.

Francisco Libânio,
01/10/12, 1:51 PM
Postar um comentário