terça-feira, 2 de outubro de 2012

486 - Soneto de ligeireza 2

Tá treinando pra barrar o Usain Bolt. Só pode.


Que rápido esse dois mil e doze!
Era janeiro e já estamos no dez,
Partiu num tiro e com tal rapidez
Quem nem pra foto teve pose

Enquanto isso, o poeta à dose,
Vive com tal calmaria por sua vez,
Não sabe se é ócio ou sensatez
O tempero que a sua vida coze,

Mas o ano, ele correu bem veloz
A tantos quilômetros, milhas, nós,
A medida adotada pouco importa,

Conta é que a velocidade permitida
Está abaixo. Quero ver a mordida
E quantos pontos isso comporta.

Francisco Libânio,
02/10/12, 8:48 PM
Postar um comentário