segunda-feira, 9 de maio de 2011

A porta


É como se eu estivesse à beira
De uma porta aberta a se fechar,
A ponto da passada derradeira
E dela pra fora só tivesse o ar.

A saída é obrigatória e certeira,
O que tem além dela é um lugar
Menos seguro, mas é a primeira
Impressão apenas. Dá pra agüentar.

A porta está aberta, vez fechada
Ela não irá se abrir nunca mais
E dela a fora a vida será cuidada

Por mim, o que me dava medo,
Enfrentá-lo é voar às demais
Portas e com isso me desenredo.

Francisco Libânio,
08/05/11, 6:54 PM
Postar um comentário