quarta-feira, 18 de maio de 2011

Mattosianas 059 - De um dia atípico


E então, o dia de hoje começou seco
“É só agora” pensei sem dar crença,
Amanheceu, manhã morreu na presença
Do sol, céu azul e nenhum teco

De água. De trovões não ouvi nem eco,
Acho que logo a água cairá intensa,
Deve haver por aí uma nuvem propensa
A chover. Olho o céu, reolho, checo,

Nenhuma nuvem e já se vai a tarde,
Vem a noite. Nada de chuva! Estranho!
Não desisto, O firmamento acompanho

Só estrelas! O dia sem nada de alarde
Se despede e bem surpreso fico eu,
Primeiro dia em Mongaguá que não choveu.

Francisco Libânio,
18/05/11, 9:25 PM,
Mongaguá
Postar um comentário