quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Dura liça


Todo dia quando acordo, eu me prometo
“Não irei pecar! Ficarei longe da maldade
Do Mundo, seguirei do vício teso e ereto!
Serei caso de virtude, exemplo de bondade!”

E me levanto ao mundo que está repleto
De tentações a me espreitar. Vontade?
Esta não me falta, mas enquanto quieto,
O desejo na forma de mulher me invade

Ela, provocante e erotizada, me atiça,
Quando não é esta mulher é o vício
E o costume que faltam a me seduzir

Então uma fala ou um ato fazem cair
Minha intenção. Resigno, volto ao início
E tentarei ser limpo outra vez. Dura liça.

Francisco Libânio,
09/02/11, 9:48 AM
Postar um comentário