segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Visita


A Devassidão em ter outra me visita na ausência
Da mulher amada com vasto catálogo de opções
E um leque inimaginável só seu de combinações:
Duas mulheres, três, um harém à minha preferência

Até gasto tempo correndo todas aquelas páginas,
Observo e comento sobre algumas delas a beleza,
A vendedora brilha os olhos e materializa à mesa
As que gostei. Até vislumbro os beijos das meninas

Penso as loucuras na cama e eis que a Amada chega,
Beija-me a boca, conversa, entretém e me carrega
Para o banho e para o amor com tantas e tão belas

Palavras que, mesmo sendo ela uma mulher normal
E sem ser tão lasciva quanto às mulheres do mal
Ainda assim, ela é melhor que qualquer uma delas.

Francisco Libânio,
06/01/10, 7:12 AM
Postar um comentário