domingo, 9 de janeiro de 2011

Poema Simples


Não industrializes os versos
Nem faças das rimas banalidades,
O poeta é um artesão sem ofício
Acima dos fumos das cidades

Estes que produzem tantos bens
E numerosos para se vender a bom preço
E aumentar lucros e engordar barões
Repetindo à exaustão este processo

Pobres são os poetas, mas felizes
Por esculpir rimas únicas e belas
E tão puros seus corações, quase bobos,
Que não cobram nada por elas.

Francisco Libânio,
10/01/10, 11:39 PM
Postar um comentário