quinta-feira, 23 de julho de 2009

38 - Necessidade de escrever... Era assim que eu entendia


Extraído de http://reveladoyrebelado.files.wordpress.com/2008/02/poeta-en-el-limbo.jpg

Necessidade de escrever... Era assim que eu entendia
Aquela ansiedade inquietante do momento,
Mas resolvi que não cederia a tal elemento
Vívido que em minha mente tanto se debatia

Eu, que devia mandar, era refém. Um vento,
Um ciclone, uma idéia louca para ser poesia
Mas não! Não naquela hora, não naquele dia.
Para amordaçá-la quieta, um esforço violento.

Não queria ser poeta àquela hora. Queria ser
Mais um e fui assim até que viesse a aurora
Para então dar voz ao repentino insurgente

Quando fui à cela, vi o que não esperava ver.
Meio prisioneiro, de rebelde, foi-se embora,
A outra metade morreu calada e consciente.

Francisco Libânio,
23/07/09, 10:06 AM
Postar um comentário