terça-feira, 14 de julho de 2009

35 - Sinto que não és mais aquela amada


Extraído de http://krellfish.typepad.com/.a/6a00d8341fe53253ef01156f4b99ad970c-800wi

Sinto que não és mais aquela amada
Tão entregue que me amava por horas
De doces carícias e mãos avassaladoras
A me trazer aquela sedução inesperada

Hoje se te toco é como se fosses queimada,
Às minhas mãos tratas como estranhas, ignoras
As carícias em tua pele. Parecem inquisidoras
Sedentas de tua morte. A ti sou como nada

Este amor interrompido, se se cabe chamar de amor
O amor dado caro trocado por desinteresse
Parece entre nós o fim definitivo do calor.

Vai, procura alguém que ame como queiras
E a estas reclamações de ti esquece.
Meu amor eu o quero por razões verdadeiras.

Francisco Libânio,
08/06/09, 9:26 AM
Postar um comentário