segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

O poder do deus-papel


Extraído de http://i6.photobucket.com/albums/y203/avereguero/MoneyGod.jpg


O que compra a casa, a paz e o conforto
De uma família orgulhosa do seu teto
Também paga o prazer externo e abjeto
Fazendo do amor informal torpe desporto

O que eleva um homem a um estilo seleto
De vida também o envenena e faz olhar torto
A quem não tem permitindo criar seu porto
Num castelo fechado se separando do gueto,

Obra conjunta da carestia e do excesso.
É este deus táctil a quem oferecemos missa,
Sacrifícios e suor para que possa nos prover

O mesmo que submete ao seu vil poder
E se chama dinheiro e prega a premissa
De que todo homem tem e paga um preço.

Francisco Libânio
20/02/09
12:14 AM
Postar um comentário