terça-feira, 4 de agosto de 2009

As moças da Zona Podre


Extraído de http://carnecomquiabo.files.wordpress.com/2009/02/05_mvg_rio_agressao.jpg

Quanto tiras de lucro quando tiras
Aos outros a roupa por necessidade?
Quem te amará? Como és, de verdade,
Se tudo são prazeres, são mentiras?

Eu as vejo sempre por aí pela cidade,
De dia pedintes, de noite vampiras.
Vêem, são vistas, miram ou estão nas miras
Não sabidas se de libido ou maldade.

Eu te vejo aqui por vitrine. Está exposto
Teu corpo por anos e homens roubado
E que te amaram até saciar o gosto

E te pagaram e depois saíram de lado
Fugindo da Zona Podre escondendo o rosto
Deixando-te lá para outro namorado.

Francisco Libânio,
23/06/09, 1:16 AM
Postar um comentário