terça-feira, 29 de maio de 2012

0163 - Soneto para a Rita do Chico Buarque


Grande larápia que era essa tal Rita!
Levou o sorriso e o que era de direito
Do outro, tudo que ele tinha no peito
E ainda um disco de Noel, acredita?

Mulherzinha sem qualidade, parasita!
Nem São Francisco escapou do jeito
Vingativo. Ela tornou o casal desfeito
Levando até os vinte anos a maldita!

E o pior, essa safada vivia no trapo,
Não tinha um tostão, levava no papo,
Ela também o levou mais o coração

Desse que sofreu as perdas e danos,
Mas pior nem foi ficar sem os planos
E, sim, quedar por mudo seu violão.

Francisco Libânio,
29/05/12, 11:51 AM
Postar um comentário