quinta-feira, 24 de maio de 2012

0132 - Soneto de meditação


Admiro de verdade quem faz ioga
E se joga de cabeça no exercício,
Quem faz diz ser verdadeiro vício
Como se fosse ela uma boa droga,

Não duvido e admiro quem se joga
Nessa onda que só traz benefício,
Mas para mim é um grande suplício
Esses movimentos sempre em voga

E eu, que nunca tive boa postura,
Endireitá-la é tarefa árdua e dura,
Fizesse ioga era direto ao hospital

Assim, meu método de relaxamento
É escrever malhando o pensamento
E deixar o corpo uma estátua de cal.

Francisco Libânio,
24/05/12, 12:53 PM
Postar um comentário