terça-feira, 22 de maio de 2012

0128 - Soneto para uma revelação sem noção


Não que o caso não exija atenção devida,
Moléstia sexual a qualquer tempo preocupa,
Assusta, enoja e indigna. O assunto ocupa
Com justa causa a cena. Prestação é pedida,

Mas se é a Xuxa quem chora de agredida
Sexualmente quando guria, vem uma lupa
Moral e lógica sobre ela e traz na garupa
Do depoimento a dúvida que não se elucida

Ela, molestada menina, foi a mesma atriz
Que num infeliz filme seduziu um petiz
Levando-o à cama tanto fez que o proibiu

Porque era a deusa, a rainha dos baixinhos?
É... A vida tem mesmo desses descaminhos
Ora rainha agora plebeia... Impressiona quem te viu!

Francisco Libânio,
27/05/12, 12:21 PM
Postar um comentário