quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

A falsa mulher


Extraído de http://colunistas.ig.com.br/obutecodanet/files/2009/06/namor.jpg

Meu Deus, protege-me da falsa mulher
De beleza estonteante e alma suja,
De cabelos tão macios, mas flores em pântano,
De olhar penetrante, mas de Medusa,
De aparência e de boa cepa, mas só engano.

Por ela, quantos homens pediram o fim,
Quantos empenharam bens de família,
Quantos foram réus condenados,
Quantos se desviaram da trilha
Do bem para se acabarem danados!

Maldita seja a falsa mulher! Maldita
Que não quer ser mãe por ser linda,
Do amor e do homem só toma o que precisa
E agora, travestida de moça distinta,
Bate à minha porta e me hipnotiza.

Francisco Libânio,
21/08/09, 12:31 AM
Postar um comentário