quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Cotidiano


Extraído de http://3.bp.blogspot.com/_sytYc3mRnfA/SoAgywaxphI/AAAAAAAABa4/OXXLBu0mFr4/s400/mulher+e+sol.jpg

E todos os dias, quando me deixas
Após nosso amor, penso ser o entardecer
Mas como se o sol se ergue no céu?
Passo o resto do dia anoitecido às queixas
Contra tudo o que me fez te perder
Até que alvoreça a noite e me tenhas só teu

Terrível é o cotidiano enquanto te amo
E faço de ti meu sol que faz viver e sorrir mais,
Pois se não te tenho comigo reclamo
Do sol e do dia querendo fusos horários iguais

Francisco Libânio,
23/12/09, 2:55 PM
Postar um comentário