segunda-feira, 8 de junho de 2009

Série Pecados - Avareza


Extraído de http://3.bp.blogspot.com/_hK0W-xgkcMc/R5cbmgVL6xI/AAAAAAAAAeI/-5Uxfr9K60g/s320/avareza.jpg

Por ter muito e tudo para ti, nada tens.
Teu ouro, só e somente teu, frisas tanto,
Poderá comprar o leito, as flores e o canto
Também carpideiras e suas homenagens

Teu ouro poderá tudo no teu fim. No entanto,
Teu fim está longe e tu, ao amor aos homens
E à caridade ao próximo, prefere teus bens
A quem ofereces tua vida, suor e o acalanto

Da tua doçura, pois és amável com as posses
Enquanto com o que nada tem ou o necessitado
Nada teu divides, nem mesmo palavras doces.

Vive, pois, tua vida fausta e ama cada vintém
Até teu fim. Nele, tu frio, duro e deitado
Terás de ouro tudo sem ser chorado por ninguém.

Francisco Libânio,
27/04/09, 12:07 AM
Postar um comentário