segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

1767 - soneto para a fita cassete

Mais esquecida e empoeirada,
A fitinha com suas gravações
Perde-se feia em recordações
E na palavra que dela derivada.

Porque rec era a tecla apertada
Para gravar nela suas canções
Prediletas. Aquelas apreensões
Pela música querida ser tocada

No rádio. E a tal coisa de giga,
De tera não havia. Coisa antiga,
Lado A, lado B e pronta a meta.

Pior é que hoje ninguém saca
A liga que o passado emplaca
Entre essa fitinha e uma caneta.

Francisco Libânio,
14/08/14, 12:25 PM
Postar um comentário