segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Teu vestido encarnado


Teu vestido encarnado cobre-te a silhueta
Definida e contrasta tua alvura e o rubor
Do tecido que te envolve. Tão forte cor,
Mais que te vestir e te ornar, te completa

Ele marca teus movimentos, te projeta
Formas, te realça mostrando inda melhor
E depois roça em meu corpo em calor
Demarcando posse deixando inquieta

Minha libido, acendendo minha vontade
De te ver além do teu vestido encarnado
A mulher despida e absolutamente perfeita

E melhor quando esta mulher se deita
Comigo deixando seu vestido ao lado
Para me amar com tamanha receptividade.

Francisco Libânio,
27/12/10, 3:21 PM
Postar um comentário