terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Eu queria escrever o teu soneto


Eu queria escrever teu soneto... Não consegui!
Faltaram palavras sobrou inspiração,
Ela estava todo tempo comigo, ali,
Esperando ser usada com precisão

Ela estava deitada em minha imaginação,
Nua, oferecida esperando... Ela era igual a ti
Na nossa noite de amor, envolta em paixão
Com um segredo maior, que eu descobri

Era teu amor, puro genuíno e cristalino,
Este amor que exigiu de mim teu soneto
E que tentei escrever sem ter sucesso

Escrevi este, no qual agora me despeço
Prometendo presente digno e completo
Amando-te enquanto me inspiro e desatino.

Francisco Libânio,
14/12/10, 12:02 PM
Postar um comentário