segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Soneto de segunda feira


Quero escrever um soneto que me marque,
Uma poesia que fique em minha história,
Um soneto meu com o qual eu viva e arque
Com conseqüências positivas. Glória?

Não espero tanto, mas adoraria se viesse.
Com um poema só duvido que aconteça,
Mas adoraria criar algo que explode, acontece,
Escrever algo inesquecível, bom à beça.

Mas minha cabeça, hoje, não me permite.
Paciência, nem todo dia é dia de poesias.
Senta-se, espera-se que surja um palpite

Da vida, uma dessas inspirações fugidias,
Uma que venha, conceba e me reabilite
Do vazio criativo e me presenteie alegrias.

Francisco Libânio,
20/12/10, 10:18 AM
Postar um comentário