terça-feira, 31 de agosto de 2010

Vácuo


Eu agradeço pelo que fizeste em minha vida
Que em poucos meses aconteceu como anos
Meteoricamente, criando ideias, dando planos
Enquanto me fazia amado e eu te fazia querida

Eu peço desculpas pelos meus erros humanos
Demais que a persistência tentou pôr perdida
A história mais bonita que foi contigo dividida
E foi bonita e marcante apesar de tantos danos

Eu não falo mais nada, pois minha boca peca
Quando fala de ti. De árvore frondosa faz seca,
Do colorido que nos envolvia só resta o opaco

Acinzentado e árido que é e um invernal vácuo
Em que não se respira, não se olha, não se sorri
Nem deixa provar o amor que ainda sinto por ti.

Francisco Libânio,
31/08/10, 1:52 AM
Postar um comentário