segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Exercício ou tentativa de poema 01


Qualquer dia, meus sonetos escritos e incógnitos,
Por atacado, vivos além do poeta que os escreveu,
Serão lidos por alguém e este alguém que os leu
Crerá que eles são algo mais do que só insólitos

Ou apaixonados demais ou sem algum conteúdo
Ou falsamente rebuscados. Quem os ler sentirá
Que em meu tempo sentimentos existiram e que há
Solução, mas e daí? Até lá terá se acabado tudo

Este poeta que os escreveu sem ser lido sequer
Pela mulher que amou, mulher esta que também
Não existirá mais e que nem poderá se defender

Casos os leitores acusem-na pela alma impiedosa
Por não amar quem a amou. Mas até aí, tudo bem,
O poeta, enfim lembrado, agradece a menção honrosa.

Francisco Libânio,
30/08/10, 7:03 PM
Postar um comentário