segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Meditabundo


Extraído de http://sitedepoesias.com.br/imagens/poemas/38808.jpg

Quando te amar eu, em ti e profundo,
Meditarei em busca da aura inalcançada
Num transe absoluto e te sentirei em cada
Respiração, deixarei aos deuses o mundo.

Assim, enquanto eu restar em ti meditabundo,
Visualizarei-te em outras mil transfigurada
E ao meu redor, tudo será a minha amada
A alcançar cem mil nirvanas. E ao fundo

Tilintares, sininhos e tu, com meu nome
Chamando... Viagens, cores, sons... Some
Tudo. Só tu, deitada em meu colo curiosa

Perguntarás por onde estive. Ah, Formosa...
Estive onde te havia em contagem infinita,
Mas nenhuma lá como tu aqui mais bonita.

Francisco Libânio,
10/08/09, 11:23 PM
Postar um comentário